No final de janeiro a Microsoft promoveu um evento para lançar o Office 2013, seu onipresente (galera do software livre surta) pacote de aplicativos desktop. Além de manter os principais programas (Word, Power Point, Excel, One Note e Outlook), a versão 2013 trouxe inovações de layout, acompanhando o estilo desenvolvido para o Windows 8, e mudanças na forma de aquisição do pacote.

Segundo a empresa, para quem não precisa acessar os arquivos quando está longe do seu próprio pc, a licença padrão do Office é a mais indicada. Funciona da mesma forma que suas antecessoras, você compra o produto uma vez e pode instalar os programas que desejar na sua máquina, porém somente nela. O usuário pode ainda usar aplicativos gratuitos da versão online do Office, o Web Apps e salvar seus arquivos no disco virtual da Microsoft, o SkyDrive. Essa versão da licença possui três variações: Home & Student, Home & Business e Professional Plus, cada uma com seu preço e peculiaridades.

Office 2013 – Preview do Consumidor

Office 365

A novidade fica por conta do Office 365, um formato novo de assinaturas mensais ou anuais que a empresa decidiu testar. Funciona assim: você paga pela assinatura, recebe o Office 2013, o Office Web Apps, 20GB de espaço no SkyDrive e 60 minutos mensais no Skype. Nesse formato o usuário pode instalar os aplicativos do Office em até cinco computadores, porém os bônus no Skype e no SkyDrive são restritos a conta que retém a assinatura.

Cabe a você decidir qual forma é mais viável. Mas de qualquer jeito é interessante ver a Microsoft disponibilizando outras formas de compra para seus produtos.
The symptoms of a mineral deficiency look here depend on the function and mobility of the element.